fbpx

Blog

PNL e Sistema Nervoso

Sistema Nervoso

Como os níveis da PNL se relacionam com o nosso sistema nervoso?

Sabe se que a PNL Sistêmica estuda os níveis de funcionamento de uma pessoa, no que se refere às formas que a pessoa aprende e se comporta, em determinados níveis diferentes. A PNL também atua diretamente no funcionamento do nosso sistema nervoso.

Inicialmente foi identificado que as pessoas ficam mais “ofendidas” ou se sentem mais “elogiadas” de acordo com o tipo de feedback que recebem… Imagine alguém te dizendo:

Os lugares que você frequenta são estúpidos

As coisas que você faz são estúpidas

Você tem capacidade de ser estúpido

As coisas que você acredita e valoriza são estúpidos

Você é estúpido

Podemos perceber diferentes tipos de mensagens, que num primeiro olhar podem parecer semelhantes, mas que falam cada vez mais sobre a pessoa, a cada exemplo, podendo ser mais ofensiva e difícil de ser redefinida.

O que foi observado é que no primeiro nível, estamos falando sobre ambientes, no segundo sobre comportamentos que podem ser feitos. O terceiro fala sobre capacidades das pessoas e o quarto sobre crenças e valores.

O último e quinto nível se refere efetivamente à identidade da pessoa.

Cada vez que estamos agindo ou resolvendo problemas, estamos atuando em algum destes níveis, e cada um exige um tipo de desempenho diferente para ser modificado.

O interessante é que foi observado que cada um desses níveis da PNL interfere no Sistema Nervoso corpo das pessoas de diferentes formas. Como se sabe, a Programação Neurolinguística identifica como o Sistema Nervoso (Neuro) está configurado e programado (Programação) através do nosso entendimento de linguagem e interação que processamos sobre os eventos que ocorrem no mundo (Linguística).

Ao entender a relação de cada um dos níveis com o corpo, podemos entender alguns dos motivos pelos quais a PNL é capaz de produzir grandes mudanças na vida das pessoas.

Segue abaixo o nível de influência de cada um desses níveis no nosso corpo:

Ambiente

No nível dos Ambientes, nosso corpo está funcionando através da absorção de informações do meio em que estamos, ou seja, do “Quando?” e do “Onde?”. As pessoas experimentam o ambiente passivamente, ajustando seus órgãos sensoriais e reagindo às mudanças de iluminação, ruídos, alimentos e temperatura, por exemplo.

Nosso Sistema Nervoso Periférico funciona para produzir essas reações e percepções. As pessoas usam os órgãos dos sentidos (olhos, nariz, boca, pele e ouvido) para captar informações e reagir a elas. O Sistema Nervoso Periférico envia essas informações ao cérebro, e é responsável por reações puramente reflexas.

Comportamentos

Nossos comportamentos exigem um nível de processamento diferente, pois envolve ações físicas dentro dos ambientes. Comportamentos são o “O que?” fazemos. A parte do corpo responsável por isso é o Sistema Motor (Sistema Piramidal e Cerebelo). Esse tipo de comportamento estimula áreas Psicomotoras, isso é diferente do Sistema Nervoso Periférico que envolve apenas nossas reações naturais. O sistema psicomotor envolve nossas ações físicas conscientes.

Capacidades

Capacidades são nossas estratégias mentais e mapas mentais que guiam os comportamentos específicos, são o “Como?” das nossas estratégias. Muitos dos nossos comportamentos envolvem processos mentais internos, que ocorrem dentro da nossa mente. No sistema nervoso periférico (já citado acima)  estamos reagindo unicamente ao que está no ambiente.

Neste nível podemos pensar sobre coisas que não estão no ambiente e usá-las como referência para nossas ações, podemos pensar por exemplo em coisas do passado, coisas que não aconteceram mas que podem acontecer no futuro, ou mesmo em coisas que pode nunca acontecer! Esse nível envolve o processamento do córtex (matéria cinzenta do cérebro). Esse tipo de processamento mental em geral está associado a micro movimentos semiconscientes dos olhos, respiração, tom de voz, postura corporal e etc. Essas são as pistas que os praticantes de PNL utilizam para identificar as estratégias que as pessoas estão utilizando enquanto pensam.

Crenças e Valores

Nossas crenças e valores envolvem decisões e avaliações profundas sobre nós mesmos, os outros e o mundo. Esse nível determina como vamos “interpretar” e dar significado aos eventos que acontecem no mundo. Crenças e Valores reforçam ou inibem nossas capacidades e comportamentos, se referem ao “Por quê?” de estarmos fazendo algo. As crenças estão associadas ao Sistema Límbico, Hipotálamo e Mesencéfalo (que possui conexões importantes com diversas partes do cérebro).

Sistema Límbico é associado às emoções e memória de longo prazo, é uma estrutura mais “primitiva” do que o córtex. Também controla o sistema nervoso autônomo (que controla funções de ritmo cardíaco, temperatura do corpo, dilatação da pupila, etc). Como as crenças estão associados à estrutura mais profunda do cérebro, elas geram mudanças fisiológicas importantes para o organismo. Quando acreditamos em algo, não estamos simplesmente pensando sobre aquilo, é por isso que um polígrafo identifica quando alguém está mentindo, ele identifica mudanças na fisiologia quando a pessoa diz algo que não acredita.

Essa relação entre crenças e funções fisiológicas cria a influência profunda no que se refere à saúde e cura física. 

Identidade

O nível de identidade trata de quem somos. Essa percepção organiza as coisas que acreditamos e valorizamos, capacidades e comportamentos que acontecem nos ambientes. Também está associado à percepção de quem somos dentro de um sistema maior no qual fazemos parte. Nossa identidade pode ser relacionada ao Sistema Nervoso como um todo, pois interfere em todos os níveis que já falamos anteriormente. Robert Dilts diz que provavelmente o Nível de Identidade também está associado à formação reticular, que é um grande número de células dentro do tronco cerebral, que projetam informações para grandes áreas de associação do córtex. A formação reticular regula nosso “estado de alerta”.

Identidade também está associada ao nosso Sistema Imunológico, Endócrino e outras funções profundas de manutenção da vida. Portanto uma mudança no nível de identidade pode gerar mudanças instantâneas na fisiologia.

Existem investigações médicas de indivíduos com múltiplas personalidades (Putman, 1984) que mostram pacientes que utilizam óculos diferentes para personalidades diferentes (pois cada uma tem uma capacidade diferente de visão) e uma mulher que era diabética numa das suas personalidades, e em outra não.

Na PNL Sistêmica também estudamos o Nível que transcende e conecta todos os níveis já citados, mas não serão tratados neste artigo pela sua complexidade.

Leia um artigo mais detalhado sobre os Níveis Neurológicos clicando aqui.

Espero que este artigo tenha sido útil. Se quiser deixe seu comentário, e fale o que achou sobre o funcionamento da PNL no nosso Sistema Nervoso.

As informações foram retiradas do Livro “De Coach a Awakaner” (Robert Dilts)